Home > Cybercultura, Resumo > Being digital

Being digital

 

Autor – Nicholas Negroponte

Publicação – 1995

 

Introdução

Being digital é um livro pioneiro nos estudos sobre cultura digital e por isso continua sendo importante em qualquer bibliografía sobre cibercultura. Em 1995 nao só a Internet era ainda uma grande desconhecida do  publico em geral, especialmente fora dos EUA;  também o próprio conceito de informática pessoal era pouco difundido  se comparado aos dias de hoje. O livro do profesor do MIT Nicholas Negroponte antecipa muitas das características que a rede assumiria com o passar dos anos e também trata, ainda que rapidamente, das possiveis mudanças sociais que estas tecnologias, aliadas a massificação da informática pessoal, poderiam causar.

 

Resumo

A metáfora central do livro é aquela que descreve a mudança de uma sociedade ou economia baseada no átomo para uma baseada nos bits. É a partir dessa metáfora que Nengroponte vai costurando capitulo por capitulo seu discurso. Os bits, afirma o autor, são muito mais fáceis e baratos de manipular, copiar e distribuir que os átomos. Um jornal feito de papel tem um custo econômico e ecolôgico muito maior que uma edição do mesmo jornal num formato digital. Por isso o caminho natural em termos econômicos é o da mudança de átomos para bits. Ser digital, dizia o autor na metade dos anos 1990, nao é só ter um CD ROM e uma conexão telefônica a Internet. As transformações, dizia ele, serão muito mais profundas, chegando ao ponto de mudar radicalmente a maneira que consumimos informação, aprendemos e nos comunicamos.

Ainda que esas afirmações pareçam obvias hoje em dia a verdade é que nem todas as previsões que Negroponte faz no livro podem ser consideradas fáceis, mesmo desde um ponto de vista atual, passados quinze anos desde a publicação da primeira edição do libro. Quando fala da incrível dose de personalização que a informação poderia alcançar na era dos bits o autor quase descreve em detalhes o modelo de negócio mais bem sucedido na Internet hoje em dia, o modelo do Google.  Negroponte consegue ver com clareza algo que poderíamos chamar de lógica dos bits. Muitas empresas ponto com poderiam ter evitado a falência se seus CEOs tivessem lido e entendido o livro de Negroponte, desistido assim da idéia de tentar recriar a lógica dos átomos num território essencialmente feito de bits, com resultados obviamente mediocres.

Os problemas que as novas tecnologías criariam para os donos de direitos autorais também foram previstos por Negroponte, mas o autor nao parecia acreditar que esses problemas chegassem a ser um dos principais obstáculos para a passagem de uma cultura baseada nos átomos para uma cultura digital. Negroponte sabe que o mundo digital é o mundo do copy and paste, e que alguns conflitos podiam ocorrer quando a lógica do copy and paste afetasse os conteúdos protegidos por direitos autorais. Mas ele pensava que as mudanças na legislação de copyright tornariam a lei menos severa , uma aposta que se mostrou totalmente equivocada. Somente 3 anos depois da publicação de Being digital o congresso dos Estados Unidos aprovou o Digital Milleniun Copyright Act (DMCA), que endureceu a lei norte americana de direitos autorais.

Esse fato demonstra que apesar da precisão de suas previsões a respeito da evolução da tecnología Negroponte parece incapaz de imaginar uma Internet cujo zeitgeist nao esteja de acordo com a lógica capitalista. Como conhecedor da cultura digital Negroponte é um moderado que acredita que a indústria cultural deve entregar os anéis para não perder os dedos. A mudança parece ser o caminho natural para ele, mas nao uma mudança radical. No mundo digital que Negroponte visualiza as locadoras de video continuam sendo um negócio dominado pela Blockbuster, que já nao tem lojas físicas mas aluga videos digitais via Internet. A indústria porém demorou anos para se adaptar a nova realidade digital e nesse espaço de tempo apareceram novas formas de distribuir conteúdos, menos centralizadas e mais adaptadas a cultura digital, formas essas que nao foram antecipadas no livro de Negroponte.

Being digital nao predica a aurora de uma nova era de socialismo baseado nas novas tecnologías digitais, como fazem outros textos sobre as novas tecnologías de informação e comunicação. Ao contrário, fala das posibilidades de que o avanço tecnológico melhore e consolide ainda mais as instituiçoes e estruturas de poder com as quais estamos acostumados hoje em dia. Nesse sentido e em outros, como no uso de piadas rápidas para introducir uma idéia, o livro é bastante norte americano. As modernas tecnologias de informação e comunicação afinal foram criadas pelo império e sua finalidade é perpetuar seu poder, não desafiar a ordem estabelecida.

 

Conclusão

Being digital foi um livro que teve um impacto considerável na época em que foi publicado. Muitas de suas previsões se tornaram realidade, provando que Negroponte realmente estava adiantado a seu tempo quando conseguiu perceber o grau que o avanço tecnológico nas comunicações poderia alcançar na primeira década do novo século. Mas parece que agora que chegamos ao futuro a questão já não é tentar descubrir até onde as novas tecnologias nos vão levar, mas sim saber como essas tecnologias podem ser postas a serviço de toda a população. A impressão que fica da leitura do livro de Negroponte é que alguns dos temas mais importantes da atualidade, como a questão dos direitos autorais ou a crescente intromissão na privacidade dos cidadãos, são tratados como coisas secundárias no livro, porque de alguma maneira Negroponte não pensava que elas seriam relevantes no futuro. Creio que a intenção do autor naquele momento fosse propagar o evangelio digital e todas as outras coisas deixavam de ter importancia diante dessa missão. Talvez por isso mesmo me parece que após completar a tarefa de ser uma introdução ao mundo dos bits Being digital deixa de ter a relevância que teve no passado, se convertendo  quase que em uma curiosidade arqueológica.

Advertisements
Categories: Cybercultura, Resumo
  1. No comments yet.
  1. No trackbacks yet.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: